O que fazemos

Promovendo a segurança de comunicadores/as populares na luta por direitos


O Brasil é o segundo país da América Latina que mais mata jornalistas, ficando atrás apenas do México. Entre 1995 e 2018, foram 64 comunicadores/as assassinados/as. Em se tratando de comunicadores/as populares, questões como a proximidade com alvos de denúncias, condições de trabalho ruins, baixa remuneração, situação legal irregular e conflitos com os poderes locais estão entre os motivos que os/as deixam ainda mais vulneráveis à violência.

Em parceria com a Embaixada dos Países Baixos, o CRIAR Brasil está promovendo uma série de ações para debater a segurança de jornalistas, especialmente a dos/as comunicadores/as populares. O projeto inclui dois treinamentos presenciais com comunicadores/as atuantes em mídias comunitárias; produtos audiovisuais; uma publicação, e; mobilização virtual.

É mais uma ação do CRIAR Brasil pela defesa da segurança na atuação jornalística, contra a impunidade e a favor da democracia.



VOLTAR